Comprovado .Serra autorizou fazer aborto no SUS.Serra é o único candidato que já assinou ordens para fazer ABORTOS, quando ministro da saúde.Veja tambem o mensalão da midia golpista..

A MIDIA GOLPÍSTA ESCONDEU, A IGREJA NÃO DENÚNCIOU.

Bispo Dom Luiz Gonzaga Bergonzini ESCONDEU DOS FIEIS  A POSIÇÃO DO SERRA quando o mesmo era Ministro da saude.

.

“Ministério da Saúde”  Serra ensina a matar.Pr. Paschoal Piragine não citou  conduta do Serra.

Serra é o único candidato que já assinou ordens para fazer ABORTOS, quando ministro da saúde

Para o eleitor votar consciente e não ser enganado, a primeira verdade que precisa saber é:

O único candidato a presidente nestas eleições que já assinou medidas para fazer abortos foi José Serra (PSDB), quando foi Ministro da Saúde, em 1998.

Ele assinou norma técnica para o SUS (Sistema Único de Saúde), ordenando regras para fazer abortos previstos em lei, até o 5º mês de gravidez.

Mulher de Serra esquece atitude do marido e diz que
Dilma apoia matar criancinha.

O Globo 1 Online.Em carta, CNBB alerta.Ministério da Saúde ensina a matar.

Logotipo do Pró-Vida de Anápolis

Ministério da Saúde ensina a matar

O Ministro da Saúde José Serra, louvável em sua luta no Senado contra os cassinos, decepciona-nos agora com uma “norma técnica” editada no dia 9 de novembro de 1998 ensinando aos hospitais do SUS os meios mais eficientes de matar uma criança cujo pai seja culpado do crime de estupro.

Trata-se de uma aspiração antiga dos abortistas: autorizar o aborto via Poder Executivo, uma vez que a tramitação dos projetos de lei pelo Poder Legislativo é lenta demais e encontra muitos obstáculos.

Devemos compreender que a sede de sangue dos grupos pró-morte é grande demais para esperar o Congresso Nacional aprovar uma lei que autorize o aborto. Um caminho muito mais curto é pressionar o Ministério da Saúde (Poder Executivo) que através de uma “norma técnica” determine o início do massacre pela rede pública de saúde. As pressões já vêm do tempo do ex-Ministro da Saúde Carlos Albuquerque, que se declarava contrário ao aborto. Agora elas recaíram sobre o atual Ministro José Serra, que lamentavelmente acabou cedendo.

Uma dúvida deve estar intrigando a cabeça do leitor: teria o Poder Executivo competência para autorizar a prática de um ato definido como crime pelo Poder Legislativo? Claro que não! Houve uma evidente usurpação de funções. Mas a esta objeção os abortistas respondem candidamente dizendo que o Ministério da Saúde não está “legalizando” o aborto, mas apenas “disciplinando” a prática do aborto nos casos em que ele já é “legal”(?).

Aqui é preciso muita paciência para explicar pela enésima vez que não existe caso algum de aborto “legal” no Brasil. O que o famigerado artigo 128 do Código Penal diz é que há dois casos em que o aborto, apesar de ser crime, “não se pune”. A não punição está muito longe da permissão ou do aplauso. Se um filho furtar algo dos pais, não será punido em razão do artigo 181 do Código Penal. Esta suspensão da pena é chamada “escusa absolutória” e é feita por razões de política criminal. Mas ninguém de bom senso chamaria de “furto legal” àquele praticado entre familiares, simplesmente porque “não se pune” . Nem diria que furtar dos pais é um “direito” dos filhos. Nem chegaria ao cúmulo de dizer que o Ministério da Educação deveria “disciplinar” o exercício de tal direito, mandando as escolas públicas ensinarem às crianças as maneiras mais higiênicas e seguras de surrupiar coisas dos pais.

O que o Ministro da Saúde fez não é menos absurdo. Determinou a prática do crime do aborto pela rede pública de saúde pelo simples fato de ele não ser punível em caso de gravidez resultante de estupro.

Se você visitar a página do Ministério da Saúde em que se encontra esta “norma” de sangue (http://www.saude.gov.br/programas/mulher/norviol.html), poderá constatar certos fatos que seriam cômicos se não fossem tão trágicos.

  1. O título do documento parece inofensivo: “Prevenção e tratamento dos agravos resultantes da violência sexual contra mulheres e adolescentes – Norma técnica – 1ª edição – Brasília – 1998.” O aborto é chamado eufemisticamente “esvaziamento da cavidade uterina”. A criança a ser trucidada é chamada de “concepto”. Os restos mortais do bebê são chamados “material embrionário ou fetal eliminado”.
  2. Para a prática do aborto basta a apresentação de um Boletim de Ocorrência Policial, o que se obtém em qualquer delegacia e não constitui prova alguma da existência do estupro. Não são obrigatórios o registro de Atendimento Médico à época da violência sofrida nem o laudo do Instituto Médico Legal. As portas estão escancaradas para a falsificação de estupros e o aborto em série.
  3. O assassínio da criança é feito de maneiras diferentes, de acordo com sua idade. Até 12 semanas (três meses), recomenda-se o esquartejamento (curetagem) ou a aspiração da criança em pedacinhos. Entre 13 e 20 semanas (até cinco meses) recomenda-se o uso do misoprostol, substância que causa violentas contrações no útero e expulsa o bebê. Acima de 20 semanas (não sei por que motivo) o Ministério da Saúde recomenda poupar a vida do inocente.

Reação

 

O segundo vice-presidente da Câmara deputado Severino Cavalcanti (PPB/PE) reagiu acusando o Ministro José Serra de extrapolar suas atribuições, passando por cima do Poder Legislativo. Para sustar a “norma” do Ministro, Cavalcanti elaborou um Projeto de Decreto Legislativo (PDL), que recebeu o número 737/98. O PDL 737/98 estava em pauta no dia 8 de dezembro de 1998, mas não foi apreciado pela Câmara em razão da obstrução comandada pelos líderes do governo para forçar um entendimento em torno da MP da Filantropia, o que acabou cancelando todas as votações daquele dia. A matéria só deve ser apreciada na segunda quinzena de fevereiro, quando o Congresso retoma seu trabalho ordinário. O deputado já dispõe de 300 assinaturas para o pedido de urgência da proposta. Uma vez aprovado o requerimento de urgência (que requer maioria absoluta dos membros da Câmara), será votado o mérito do projeto, que requer maioria dos presentes.

E até lá?

 

Em matéria legislativa, nada mais resta senão esperar a segunda quinzena de fevereiro. E enquanto isso, que faremos? Ficaremos parados, observando a chacina estender-se pelos hospitais públicos do nosso país? Um advogado poderia talvez encontrar um recurso judicial para impugnar a “norma” do Ministério da Saúde e pedir a concessão de uma liminar. Acontece que todos os advogados já nasceram. Será que algum deles teria interesse em defender a vida dos ainda não nascidos?

Pe. Luiz Carlos Lodi da Cruz

28 de dezembro de 1998 – Dia dos Santos Inocentes

Fax do Ministro da Saúde: (061)224-8747     225-9632
Telefones: (061) 315-2392     2237340     2245269
E-mail do Ministro da Saúde: info@saude.gov.br

MINISTRO CANCELA AUDIÊNCIA COM BISPOS QUE IRIAM PROTESTAR CONTRA NORMA TÉCNICA DO ABORTO

 

Após o envio da Carta solicitando a revogação da Norma Técnica do Aborto, uma audiência foi marcada entre uma comissão de Bispos e o Ministro José Serra, para o dia 5 de setembro de 2000, às 16h 30min. Os membros da comissão seriam: Dom Aloysio Penna (Arcebispo de Botucatu e responsável pelo Setor Família), Dom João Wilk (Bispo de Formosa), e Dom Raymundo Damasceno (secretário geral da CNBB).

Lamentavelmente, o Ministro cancelou a audiência com os Bispos e não marcou nova data.

Eu tinha a esperança de que a audiência fosse transferida para o dia de São Nunca. Porém o dia de São Nunca já chegou (o dia de Todos os Santos – 1º de novembro) e o Ministro ainda não atendeu aos Bispos.

Também reles plebeus como eu e a Dóris (presidente da Associação Nacional Mulheres Pela Vida – Telefone: 21-691-1690) desejaríamos falar com o Ministro, mas a agenda dele está muito ocupada. O setor de cerimonial do gabinete do Ministro nunca nos diz quando ele poderá atender-nos.

Se ele não tem tempo para nós, terá algum tempo para os não nascidos?

Anápolis, 10 de novembro de 2000
Pe. Luiz Carlos Lodi da Cruz
Presidente do Pró-Vida de Anápolis

Serra é o único candidato que já assinou ordens para fazer ABORTOS, quando ministro da saúde

Para o eleitor votar consciente e não ser enganado, a primeira verdade que precisa saber é:

O único candidato a presidente nestas eleições que já assinou medidas para fazer abortos foi José Serra (PSDB), quando foi Ministro da Saúde, em 1998.

Ele assinou norma técnica para o SUS (Sistema Único de Saúde), ordenando regras para fazer abortos previstos em lei, até o 5º mês de gravidez.

A íntegra da norma pode ser lida aqui: http://www.cfemea.org.br/pdf/normatecnicams.pdf

Certamente as pessoas que são favoráveis à descriminalização do aborto aplaudem de pé essa atitude de Serra, quando foi Ministro, ao aparelhar o SUS para fazer abortos previstos em lei.

E certamente, Serra jamais pode receber o voto de quem milita incondicionalmente contra qualquer prática relacionada ao aborto.

Senadora do PSDB, suplente de FHC, apresentou projeto legalizando o aborto, desde 1993

O ex-presidente Fernando Henrique Cardoso (PSDB), partidário de José Serra, foi eleito senador em 1986.

Em dezembro de 1992 saiu do senado, no meio do mandato, para ser ministro das Relações Exteriores e depois da Fazenda, no governo Itamar Franco.

Assumiu sua suplente Eva Blay (PSDB).

No dia 23 de junho de 1993, ela apresentou o Projeto de Lei no Senado n° 78/1993, revogando todos os artigos do Código Penal que criminalizam e penalizam a prática do aborto.

PNDH II, assinado por FHC previa ampliação dos casos de aborto legal

O Plano Nacional dos Direitos Humanos II, feito em 2002, no governo Fernando Henrique Cardoso, (íntegra aqui), na página 16, defende a ampliação da legalização do aborto:

179. Apoiar a alteração dos dispositivos do Código Penal referentes ao estupro, atentado violento ao pudor, posse sexual mediante fraude, atentado ao pudor mediante fraude e o alargamento dos permissivos para a prática do aborto legal, em conformidade com os compromissos assumidos pelo Estado brasileiro no marco da Plataforma de Ação de Pequim.

Mônica Serra deveria se queixar do marido “ser a favor de matar as criancinhas”

A mulher de Serra andou falando bobagens dizendo que “Dilma seria a favor de matar as criancinhas”. A dondoca deveria olhar para o próprio umbigo, porque o marido dela, José Serra, foi o único dos candidatos à presidente que assinou e ordenou regras para o SUS fazer ABORTOS.

Como rebater boatos falsos para exploração eleitoreira:

Agora, quando alguém receber algum e-mail demonizando Dilma, respondam essa VERDADE sobre Serra, enviando esta nota de volta.

Quando ouvir alguém de boa-fé pregando contra Dilma e Lula, mostrem ou imprimam esta nota, esclarecendo quem é José Serra e quem é o PSDB. Questionem, exijam a verdade.

Ao contrário do governo elitista do PSDB, de FHC, o governo Lula sempre manteve diálogo franco e aberto com as entidades religiosas, assim como outras entidades da sociedade civil, reconhecendo seu importante papel como ente social na construção da nação, buscando mediar conflitos e polêmicas, em busca de consensos que representem de fato a vontade e o pensamento do povo brasileiro.

Todos os partidos tem gente a favor e gente contra

A verdade é que todos os candidatos a presidente (Dilma, Marina, Serra e Plínio) tem posições semelhantes sobre o assunto: são pessoalmente contra o aborto, são pessoalmente a favor da vida, já se declararam a favor do estado laico, não mexerão nas leis atuais sobre o aborto, porque é assunto que pertence à sociedade e só o Congresso Nacional poderia mudar, se tivesse apoio popular. Nunca foi e não é um assunto para nenhum presidente da República decidir sozinho.

Posições contrárias e favoráveis à descriminalização do aborto existem dentro de todos os partidos, como mostramos acima no caso do PSDB, e há também entre os aliados de Marina Silva (Fernando Gabeira e Eduardo Jorge do PV, sempre militaram pela legalização do aborto).

Para aqueles que não entenderam o objetivo dessa matéria, nada melhor  do que  a palavra de outro leitor para explicar....

Haroldo Cantanhede disse…

O que se está abordando aqui não é a tecnicalidade da norma; o que se está abordando aqui é a postura hipócrita dos arautos da nossa direita que gritam mentiras por aí, tentando transformar a norma técnica em terrorismo da Dilma Rousseff. Essa tentativa de enxovalhar a candidata do PT com esse medo de Regina Duarte já encheu o saco; ora, se a Dilma, como disse a esposa do eminente candidato do PFL-PSDB “quer matar criancinhas”, ela deveria ter tido o mínimo de decência, e dito que o seu marido também. Das duas uma, ou ele não a ensinou direitinho o que dizer, ou então esqueceram-se da norma técnica, da tecnicalidade, etc. A questão aqui não é estarmos ou não estarmos a favor do aborto, dos direitos das mulheres, etc., mas sim contra a estratégia porca da candidatura do PSDB-PFL-PPS.

Nosso leitor disse tudo o que nós tinhamos a dizer!

Silas Malafaia sabe , mas prefere a omissão.

 

Anúncios

7 Respostas para “Comprovado .Serra autorizou fazer aborto no SUS.Serra é o único candidato que já assinou ordens para fazer ABORTOS, quando ministro da saúde.Veja tambem o mensalão da midia golpista..

  1. Ótimo!
    Sou totalmente favorável ao aborto.
    A mulher, que dona do corpo, é quem deve decidir.
    As religiões são limitadoras do pensamento e a pretexto do bem só trazem o mal.

  2. Não sou a favor do aborto, se minha mulher quisesse fazer não aceitaria e se eu fosse uma não faria, por acreditar em algo maior.
    Porém, acredito que toda mulher deve ter o direito a escolha e que deve ter condições favoráveis para fazer o aborto, logo por poder trazer problemas sérios a saúde, precisa ser observado pelos governantes.
    Não concordo com o aborto, mas trata-se de uma questão de saúde pública.
    Logo, parabéns ao Serra por ter assinado e por pensar nos outros e não se preocupar com o que os religiosos falariam.

  3. ADOREI A MATERIA !!!
    SOU TOTALMENTE CONTRA O ABORTO !!!!
    EM QUALQUER FORMA TEMOS QUE CONCIENTIZAR O POVO PARA A CAMPANHA SUJA QUE SERRA ESTA FAZENDO, Ñ SE TRATA DE APOIAR DILMA OU SERRA E SIM DE MOSTRAR A VERDADE SOBRE O ASSUNTO AFINAL SERRA DIZ QUE DILMA VAI LEGALIZAR O ABORTO QUENDO ELE O PROPRIO JA FEZ ISSO !!!!!!!!

    • Luiz Carlos e José Roberto, será que em caso, da filha ou esposa de vocês, serem estupradas, vocês vão amar essas crianças como se filho de vocês fossem? Será que a mulher ou filha de vocês, gostaria de ter uma criança que ao invés de ser gerada com amor, foi fruto de violência de um desconhecido? Pensem bem sobre esse assunto, é muito fácil falar e opinar qdo o caso não é com a gente….e foi nesses casos que foi autoriazado pelo Serra o aborto.

  4. OK agora coloque suas fontes ao final da matéria e não se esqueça de revirar o passado da Dilma também.

    tenha um bom trabalho

  5. luiz crlos maldonado de carvalho

    Nem a mulher nem ninguém é dono de seu corpo, mas apenas responsável pelo que faz dele e nele; o aborto é assassinato e essa medida foi a abertura para legalização do assassinato; a hipocrisia, o egoimo e o orgulho são tão grandes que cegam as pessoas; religiões? é só olhar seus patrimonios e ver no que se interessam; em uma eleição o clero faz discurso em favor do PT, agora panfletam contra; hipocrisia também; quanto ao passado da Dilma? foi batizado em Porto Alegre noutro dia, pela sua filha.

  6. PRIMEIRO: A questão proposta não é nem discutir se o aborto deve ou não ser legalizado, mas sim a hipocrisia do candidato Serra;

    SEGUNDO: Como pode um tema tão polêmico, que o candidato Serra usa como arma de terrorismo político, ter sido decidido unicamente por ele mesmo (A CANETADAS), passando por cima do Congresso e do Judiciário, dando “um jeitinho” (ao não exigir a prova de que a gravidez tenha sido fruto de estupro) para que todo tipo de aborto fosse feito pelo SUS pela declaração unilateral da mulher?

    TERCEIRO: É muita hipocrisia dessa turma que defende o Serra, se são pró aborto dizem “tá certo” (mas não querem ver que o foco não é ter liberado ou não, mas a hipocrisia dele), se são contra o aborto dizem “a norma é so para aborto ‘legal’ ” (mas fingem não ter percebido que ele deu “um jetinho” para liberar todo tipo de aborto, passando por cima até do Congresso. Ou seja, esquecem todo tipo de ética, para defender, com malabarismos verbais, a hipocrisia desse candidato.

    E, POR ÚLTIMO (que já peguei nojo… rs). O cara é tão hipocrita que quando era Ministro do Planejamento queria cobrar impostos das igrejas (você pode ser contra ou a favor), mas tem que reconhecer que é muita hipocrisia, propor isso (cobrar impostos das igrejas), ter dado um jeitinho de liberar todo tipo de aborto no SUS (passando por cima do Congresso), ter incentivando o seu próprio vice a cometer adultério (saiu em todos os jornais) e não ter cumprido nem o que assinou e reconheceu em cartório (de não deixar a prefeitura de São Paulo) e agora querer se passar como “defensor dos princípios cristãos”. Judas e Pilatos seriam melhores representantes…

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s