Dono da Editora Abril é acusado de Lavagem de dinheiro,sonegação fiscal e formação de quadrilha.Até quando?.“A Band teve acesso aos contratos milionários firmados entre a Naspers e a Editora Abril ” Veja”.

A Rede Bandeirantes exibiu em seus telejornais, segunda e terça-feira,, reportagem denunciando irregularidades praticadas pela Editora Abril, proprietária da revista “Veja”, nos contratos de venda de 30% do capital da editora a grupos estrangeiros. O negócio, no valor de cerca de R$ 900 milhões, está sendo investigado pelo Ministério da Justiça e Receita Federal.

A reportagem destacou ainda que a entrada de sócios estrangeiros foi a tábua de salvação da empresa, que fechou 2005 com prejuízos acumulados em mais de R$ 260 milhões e dívidas – que segundo o balanço da editora passavam de R$ 68 milhões – que o patrimônio da empresa não era suficiente para cobrir.

Segundo a emissora, a Justiça brasileira quer saber detalhes dos contratos, que a editora fez questão de manter sob sigilo. O Jornal da Band teve acesso aos documentos, “cheios de pontos obscuros”. “Agora, a Justiça quer saber todos os detalhes dos negócios da Abril com grupos estrangeiros como Viacom e a sul-africana Naspers, de histórico racista”, revelou o repórter Sandro Barbosa.

“A Band teve acesso aos contratos milionários firmados entre a Naspers e a Editora Abril. Os detalhes que a empresa brasileira tanto quis esconder agora vêm à tona. Os contratos são redigidos em inglês. Parte da transação foi feita com investidores norte-americanos que já possuíam ações da editora. Mais de US$ 170 milhões sequer passaram pelo Brasil. O dinheiro foi depositado em bancos dos Estados Unidos. No restante dos negócios, os sócios brasileiros também receberam cifras altas. Mas o que chama atenção no contrato é a cláusula que concede o controle da Abril para quem tiver mais de 50% das ações. A lei brasileira determina que, além de deter mais da metade das ações, a pessoa tem que exercer efetivamente esse poder, o que não fica claro no contrato”, ressaltou a reportagem.

O advogado Walter Vieira, entrevistado pela emissora, opinou: “Eu acho estranho que um grupo estrangeiro que compre um ativo tão importante, como são 30% do capital social da editora Abril, adquira também, junto com esse patrimônio, direitos políticos, como os de eleger membros do Conselho de administração da Abril e ainda outros que estão num acordo de acionistas que é mencionado em todos os documentos a que a Band teve acesso, mas que continua desconhecido para as autoridades do Brasil”.

A série de denúncias da emissora continuou, em nova matéria exibida no Jornal da Band, da última terça-feira: “Uma empresa que só existe no papel conseguiu a façanha de comprar parte da Editora Abril”, enfatizou o repórter, referindo-se à transação com a Naspers. “Uma análise mais detalhada dos contratos mostra a existência de uma empresa brasileira no negócio, a MIH Brasil Participações. Tentamos localizar a MIH, descobrimos um emaranhado de endereços de uma empresa, a Curundéia, que não possui funcionários e sede, mas, mesmo tendo um capital social pequeno, realizou um dos maiores negócios da comunicação, no ano passado, no país”.

A reportagem checou os endereços, número de telefone e CNPJ atribuídos às empresas nos contratos, constatando que as informações eram falsas. Na Receita Federal, descobriu-se que a Curundéia tem três donos: A MIH (UBC) Holdings BV, a Myriad International Holdings BV, as duas com sede fora do Brasil, e a Brian Vincent Forssman. O capital social registrado é de R$ 878 mil.

“Para comprar a parte das ações da Editora Abril, a empresa pagou mais de US$ 178 milhões, o equivalente a mais de R$ 380 milhões, ou seja, a empresa virtual realizou um negócio 435 vezes maior que o seu suposto capital social. A empresa sul-africana Naspers, considerada racista, é uma das donas da MIH, que as autoridades brasileiras não reconhecem. Oficialmente, a MIH é conhecida como Curandéia, uma empresa virtual que só existe no papel”, completou Sandro Barbosa.

Anúncios

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s