Aécio e o Grupo Abril são ignorantes ou mal intencionados. Dilma tornou a nossa indústria naval uma das maiores do mundo.

Em visita ao estado do Rio Grande do Sul, o candidato Aécio Neves declarou(link is external) que, caso seja eleito, “os investimentos em portos serão feitos no Brasil, inclusive no Rio Grande do Sul”. Sobre a crítica do candidato aos investimentos em empreiteiras que participam da construção do Porto de Mariel, em Cuba, já explicamos a importância estratégica dessa parceria para a nossa economia aqui(link is external). Agora, vamos falar de quem investiu mais na indústria naval, Aécio?

Em 2002, quando Fernando Henrique Cardoso, do partido de Aécio Neves, deixou o poder, a indústria naval brasileira estava relegada a serviços menores. Os navios da Petrobras  eram fabricados no estrangeiro. Criação de empregos, então, é bom nem falar. Com FHC, eram apenas 7 mil empregados na indústria naval do país inteiro(link is external). Com Dilma, a coisa é bem diferente. Em 2013, 80 mil empregados que produziram 7 plataformas de produção, 2 navios petroleiros de grande porte, 21 navios de apoio marítimo, 10 rebocadores portuários e 44 barcaças de transporte.

Graças à política de produção nacional de Lula e Dilma, o crescimento da Petrobras nos governos petistas e o investimento maciço na exploração do petróleo e do pré-sal, hoje somos a terceira maior indústria naval do mundo. A indústria naval está sendo alavancada com o PAC 2(link is external) por meio do Programa de Modernização e Expansão da Frota de Petroleiros (Promef I e II). Já foram entregues sete navios de grande porte. E o Promef ainda tem 14 outros navios em construção, somando 46 embarcações já contratadas. No programa de Expansão e Modernização da Marinha Mercante, já são 288 embarcações contratadas e 93 entregues.

Até abril de 2014 foram concluídos, pelo PAC, 27 empreendimentos em exploração e produção de petróleo, 19 em refino e petroquímica, nove em fertilizantes e gás natural e três combustíveis renováveis. Como resultado da consolidação da indústria naval, foram concluídas duas sondas de perfuração contratados o financiamento de 381 embarcações e 13 estaleiros.

E já que o Aécio está falando para o Rio Grande, mostramos aqui o quanto Dilma investiu na indústria naval do Rio Grande do Sul. Também pelo PAC foi concluída a expansão da Refap S/A(link is external) (Refinaria Alberto Pasqualini), no Rio Grande do Sul, que passou a ser a 5ª maior refinaria do sistema Petrobras. De 2011 a 2014, o governo Dilma destinou R$ 22,9 bilhões para o setor de petróleo e gás no Rio Grande do Sul e R$ 714,4 milhões para o segmento de portos, investimentos que foram essenciais para reeguer a indústria naval do Brasil, que tinha sido reduzida a pó nos governos tucanos. O Estaleiro do Rio Grande(link is external), uma das maiores obras concluídas no Brasil de Dilma, tem uma área de 550 mil metros quadrados, é o primeiro dique seco do Brasil e o maior da América Latina.

Enquanto Aécio trabalha com especulações, Dilma tem muito o que mostrar. Ela não só fez com que o Brasil enfrentasse a crise gerando emprego e renda, como também investiu muito na expansão da indústria do Brasil e tirou a indústria naval brasileira dos anos de abandono vividos durante os governos tucanos. Quem faz uma campanha baseada na mentira não se sustenta, Aécio.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s