Podridão.Cunha desmoraliza o processo de impeachment.

cunha dolares

Eduardo Cunha ter aceitado o pedido de impeachment da presidenta Dilma depois de o PT ter anunciado que votaria contra ele no Conselho de Ética é a desmoralização total deste processo.

A oposição vai fazer de tudo para tirar essa marca, mas para Dilma não poderia haver um melhor cenário para que essa disputa se iniciasse.

Dilma, seu partido e seu governo terão todas as condições de demonstrar que isso só está acontecendo porque o presidente da Câmara quer se vingar por não ter tido do PT o aceite da chantagem que tentou operar.

E isso não é pouco.

Não vira o jogo por si só, mas coloca novos atores em campo.

Muita gente que poderia torcer para Dilma cair, agora começará a pensar se apoiar um processo desses não é um risco para o país.

Em relação à disputa no Congresso, não se pode dizer que Cunha ainda não tem uma certa força. Mas ela é muito menor do que quando assumiu a presidência da Casa.

Seria interessante ver Cunha desfilando por aí com a bandeira do Brasil e defendendo o que quer que seja.

Cunha é hoje mais rejeitado do que Dilma.

E o fato de ter sido ele o homem que assinou a abertura do processo do impeachment vai permitir a articulação de um bloco popular do outro lado.

Não vai ser mais um jogo de um lado só.

Não vai ter só gente na rua pedindo fora Dilma.

Mas e se tudo der errado para o governo e para Dilma?

Aí restará a dignidade de não ter feito um acordo espúrio e o discurso do golpe.

Porque será exatamente o nome a ser dado para um processo de impeachment que é assinado no dia em que o partido do governo decidiu não aceitar a chantagem de um presidente da Câmara que é acusado, com provas substanciais, de ter movimentado milhões de recursos provenientes de corrupção em diversas contas na Suíça.

E um golpe do que há de pior na política.

Da turma mais incrivelmente cara de pau e canalha.

E a prova mais cabal disso é a declaração de Cunha ao anunciar seu aceite. Ele disse que a sua decisão foi técnica e não política.

O mais incrível é que ainda há colegas jornalistas que reproduzem essa informação sem um parenteses ao lado (neste momento eu ri alto). Porque ao menos com essa explicação ele não teria que fazer de conta que a objetividade jornalística é algo sério.

Porque ser objetivo é fazer o leitor entender o que está acontecendo.

E o resumo dessa história é: como a chantagem não deu certo, Cunha foi ao golpe.

 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s