Arquivo da tag: os dias

Para Humberto, “perseguição midiática” levou Marisa à morte.

Para Humberto, “perseguição midiática” levou Marisa à morte.247

:

Líder do PT no Senado, Humberto Costa (PE), disse que a morte da ex primeira-dama Marisa Letícia ocorreu em decorrência da “perseguição midiática” a que ela e o ex-presidente Luiz Incio Lula da Silva foram submetidos; “Houve uma perseguição midiática sem precedentes, que lhe provocou uma profunda tristeza e precipitou problemas de saúde em decorrência de um estado emocional extremamente abalado por esse cerco que se impôs à sua vida, à vida do ex-presidente e à de todos os seus familiares”, disse o parlamentar em nota; o senador e ex-ministro Armando Monteiro Neto (PTB) também lamentou a morte da ex-primeira dama; governador Paulo Câmara (PSB) decretou  luto oficial de três dias pela morte da ex-primeira-dama.247

Vídeo devastador: Moro, Lula é culpado!.Impressionante.

Os vídeos foram publicado no youtube, o Epocaestado esta analisando os fatos.Vídeo comprova  que Malafaia anda mau acompanhado. Cunha não é flor que se cheira, a justiça da suíça que o diga.

Tucano diz quem é João Dória.

9d1a1-globooquepoderiaserfeito

Ele se apropriou de terra da Prefeitura! Imagine na Prefeitura de SP…

Doria.jpg

Esse curto período de campanha já permite analisar o seu perfil. Dória não relutou em usar de todos os recursos lícitos e ilícitos, operacionais e financeiros, para angariar votos em uma prévia que está sendo avaliada pela Justiça Eleitoral. Nesse período prévio a lei veda o uso de quaisquer recursos financeiros para buscar votos para decisão dos filiados ao partido. Despesas só podem ser feitas pelo diretório municipal, mas ele as fez com recursos próprios. Além disso, não titubeou em usar as relações pessoais com o governador para obter apoios através da pressão de dirigentes do Estado sobre os filiados ao partido.

A sua falta de zelo pela coisa pública ficou evidente quando, conforme apuração da Folha de São Paulo constatou-se que tomou ilegalmente uma área de terra para somar à sua propriedade em Campos de Jordão. Na entrevista à Jovem Pan ainda justificou que a incorporação era produto de um acordo de desafetação onerosa, feito com o prefeito anterior do município, em que ele teria trocado o imóvel por algum equipamento doado para a cidade, acordo esse que não foi “homologado”, segundo suas palavras, pela Câmara Municipal do município. Ora, se não foi “homologado”, não aconteceu, não houve um ato jurídico perfeito. Nunca poderia incorporar bens públicos apenas através de um “acordo” com o prefeito ou com o Executivo municipal. O fato é que tomou a área, mostrou não respeitar a diferença entre o interesse público e o interesse privado e, processado, foi tentar um arranjo que legalizasse o mal feito.Continue lendo.

16017-acorda_pedrosimon_1

4c159-mensalc383otucano-mineiro

8297f-tabelacorrupc3a7c3a3o

Vergonha nacional.FOLHA SOME COM UMA PESQUISA EM SP. CADÊ ELA ?

Com  Serra no buraco Grupo  Abril desaparece com pesquisa.

Edu Guimarães foi à Polícia Federal para apurar o que se passa no Datafalha.

Agora, ele descobriu que a Folha (*) sumiu com uma pesquisa:

DATAFOLHA FEZ DUAS PESQUISAS NA SEMANA, MAS SÓ DIVULGOU UMA


Pesquisa Datafolha sobre São Paulo divulgada na noite de ontem (27.9) corrigiu “queda” de Fernando Haddad na semana passada que só esse instituto detectou. Veja , na imagem acima, comparação entre a trajetória do petista nesse instituto e no Vox Populi e no Ibope.

Além da correção da distorção sobre a tendência de Haddad, que agora aparece com mais 3 pontos percentuais, chegando a 18% – portanto, fora da margem de erro de 2 pontos –, o Datafolha afirma que Serra cresceu 1 ponto e Russomano caiu 5.

Indo mais fundo na análise da pesquisa, porém, o Blog detectou um fato que, somado a todo o resto, dá o que pensar.

A polêmica pesquisa anterior do Datafolha foi divulgada na noite de 19 de setembro, conforme consta de seu registro no site do TSE, tendo ido a campo entre os dias 18 e 19 últimos. Veja, abaixo, a reprodução da página de registro da pesquisa.Continue

 

 

Record cresce 35% no Ibope de SP com Jogos Olímpicos.

Record cresceu 67% entre a Classe “AB”,.

Abertura Olimpiadas 2012 ao VIVO Abertura das Olimpíadas 2012 ao VIVO   Londres

Coluna Sem Intervalo.

Record obteve crescimento de 35% no Ibope da Grande SP entre os dias 25 de julho e 5 de agosto.

Estes índices foram comparados com os obtidos antes dos Jogos, entre os dias 24 de junho e 24 de julho.

No Rio de Janeiro, o crescimento no mesmo período foi de 23%.

A jornalista ainda afirma que o Ibope apontou que a Record cresceu 67% entre a Classe “AB”, ou seja, telespectadores com maior poder aquisitivo.

Monstros que matou a sangue frio 77 pessoas disse que tentou ser engraçado.Não existe palavras para descrever a hediondez desse monstro

Não existe palavras para descrever a hediondez desse monstro.

Stian Lysebrg Solum/AFP Photo / Anders Behring Breivik e seu advogado, Geir Lippestad (à esquerda), chegam para a sessão desta sexta-feira (20) do julgamentoAnders Behring Breivik e seu advogado, Geir Lippestad (à esquerda), chegam para a sessão desta sexta-feira (20) do julgamento

Durante seu julgamento, o monstro norueguês não demonstrou nenhuma emoção para com suas 77 vítimas. Com indiferença, ele disse que cometeria os crimes novamente.

http://www.gazetadopovo.com.br/mundo/conteudo.phtml?id=1246370

Na primeira semana do julgamento pela morte de 77 pessoas em Oslo, o acusado Anders Behring Breivik se mostrou cortês, eloquente e tranquilo, apresentando-se como um herói, disposto a cometer novamente os mesmos crimes.

É difícil avaliar este homem enorme, de ombros largos e cabelos louros bem aparados, com uma barba fina destacando a mandíbula forte, e que entra todos os dias na sala de audiência com um sorriso nos lábios.

Além da saudação extremista que usou nos primeiros três dias, a marca deste assassino confesso de 33 anos – que admitiu os crimes, não sua culpa – é sem dúvida a calma e a indiferença traída pelo tom de voz, ainda quando narra atos atrozes.

Com relação à morte a sangue frio de 69 pessoas, na ilha de Utoeya, na maioria adolescentes e jovens social democratas, Breivik não deixou dúvidas: “Faria tudo outra vez”, disse.

Breivik acrescentou, sem emoção aparente, que se preparava para matar as 569 pessoas que estavam na ilha no dia 22 de julho do ano passado, e liquidar as presentes no prédio do governo, em frente ao qual detonou um veículo cheio de explosivos. Lá morreram oito pessoas.

E tudo isto por quê? Em sua longa resposta a esta questão, Breivik quis justificar algo que aos olhos dos mortais é dificilmente compreensível.

Breivik se apresenta como um “cavaleiro”, um militante nacionalista que luta heroicamente para defender os “noruegueses autênticos” da “invasão muçulmana”, resultado de uma política social democrata de imigração que considera demasiado generosa.

Mas tanto como a barbárie de seus atos, o que dá calafrios é a forma destemida com que os justifica, num tom monocórdico, mas afável.

Breivik não demonstrou nenhuma emoção para com suas vítimas, tendo perdido a compostura apenas uma vez, no primeiro dia do julgamento, quando se esforçou para conter as lágrimas quando o tribunal exibiu um pequeno filme produzido por ele para justificar seu combate ao Islã.

Posteriormente, disse que chorou nessa hora afirmando: “Meu país está prestes a morrer”, e se emocionou com a música desse vídeo, que ele usava em seus momentos de meditação destinados a se acalmar e a frear seu “medo da morte”.

O depoimento permitiu descobrir uma personalidade extremamente disciplinada e determinada em todos os preparativos, e que mostrou um bom conhecimento de armas e explosivos.

Os psiquiatras o descreveram como um narcisista, a ponto de querer controlar tudo e até dar conselhos aos magistrados.

Al falar da presumível organização dos “Cavaleiros Templários”, Breivik garantiu que ela realmente existe, embora admitiu ter usado um tom “pomposo” no manifesto de 1.500 páginas que redigiu, em apoio a suas teses, publicado pouco antes de realizar os atentados.

O extremista não mostrou nenhuma compaixão por suas 77 vítimas, mas insistiu em se apresentar como uma pessoa capaz de mostrar empatia. “Em tempos normais sou um homem muito simpático”, disse nesta sexta-feira.

Comentou que foi obrigado a esconder suas emoções a partir de 2006, quando começou a preparar seus ataques.

Expressou um ódio incontrolável aos muçulmanos, e definiu os meios de comunicação como seus maiores inimigos, apesar de mostrar-se visivelmente contente de estar diante das câmaras de televisão.

Breivik se vê como herói e vítima, censurado e “excluído da democracia” pelos políticos e pelos jornalistas que apoiam a sociedade multicultural que ele rejeita.

Em sua visão, os atentados foram a única forma de passar sua mensagem, e responsabilizou por isso o governo e a imprensa. “Se na Noruega o regime, e principalmente os meios de comunicação tivessem mudado de atitude”, disse, “não teriam acontecido” os atentados de 22 de julho.